quinta-feira, outubro 14, 2010

greve dos bancos

Os bancários de todo o país realizaram assembleias nesta quarta-feira (13) para decidir o futuro da greve da categoria, que já se arrasta por 15 dias. Até as 22h, apenas o sindicato da região de Bauru, no interior de São Paulo, havia rejeitado a proposta dos bancos, segundo a Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), ligada à CUT (Central Única dos Trabalhadores).
Publicidade
 
Os bancários de todo o país realizaram assembleias nesta quarta-feira (13) para decidir o futuro da greve da categoria, que já se arrasta por 15 dias. Até as 22h, apenas o sindicato da região de Bauru, no interior de São Paulo, havia rejeitado a proposta dos bancos, segundo a Contraf-CUT (Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro), ligada à CUT (Central Única dos Trabalhadores).

Bancários encerram greve em São Paulo

A Fenaban (Federação Nacional dos Bancos) ofereceu reajuste de 7,5% nos vencimentos para quem ganha até R$ 5.250, e adicional fixo para quem mais que isso, além de aumento do piso salarial, reajuste do vale-alimentação, de auxílios e do PLR (Participação nos Lucros e Resultados).

Os bancários do BB (Banco do Brasil) e da CEF (Caixa Econômica Federal) – bancos públicos – fizeram reivindicações diferentes do oferecido pela Fenaban.

Confira também

No caso do BB, os bancários querem reajuste de 7,5% para todos os funcionários (independentemente do salário), alta no piso de R$ 1.415 e para R$ 1.600, e distribuição de 4% do lucro líquido do banco dividido em partes iguais entre os trabalhadores.

Os empregados da CEF têm pedidos parecidos com os dos funcionários do BB, sobretudo quanto ao aumento e ao PLR. Entretanto, reivindicam piso de ingresso no banco de R$ 1.600, com reajuste de 12,74% após 90 dias.

Veja os locais que aprovaram o fim da greve

Bancos privados, BB e Caixa


São Paulo
Brasília
Belo Horizonte
Curitiba
Mato Grosso
Florianópolis
Campinas (SP)
ABC (SP)
Alagoas
Piauí
Campo Grande
Rondônia
Acre
Roraima
Londrina (PR)
Juiz de Fora (MG)
Campina Grande (PB)
Guarulhos (SP)
Niterói (RJ)
Alegrete (RS)
Angra dos Reis (RJ)
Blumenau (SC)
Bragança Paulista (SP)
Campos dos Goytacazes (RJ)
Criciúma (SC)
Extremo Sul da Bahia
Itaperuna (RJ)
Nova Friburgo (RJ)
Sul Fluminense (RJ)
Teresópolis (RJ)
Toledo (PR)
Assis (SP)
Taubaté (SP)
Jaú (SP)
Araçatuba (SP)
Naviraí (MS)
Marília (SP)
Patos de Minas (MG)
Ribeirão Preto (SP)
Presidente Venceslau (SP)
Teófilo Otoni (MG)
Três Lagoas (MS)
Votuporanga (SP)
Araraquara (SP)
Catanduva (SP)
Dourados (MS)
Feira de Santana (BA)
Franca (SP)
Guaratinguetá (SP)
Irecê (BA)
Limeira (SP)
Mogi das Cruzes (SP)
Presidente Prudente (SP)
São José do Rio Preto (SP)
Sorocaba (SP)
Vale do Ribeira (SP)
São José dos Campos (SP)
Umuarama (PR)
Ponta Porã (MS)
Paranavaí (PR)
Joaçaba (SC)
Cornélio Procópio (PR)
Cariri (CE)
Campo Mourão (PR)
Arapoti (PR)

Bancos privados e Banco do Brasil

Rio de Janeiro
Bahia
Pará e Amapá
Jundiaí (SP)
Santo Ângelo (RS)

Bancos privados e Caixa Econômica Federal

Pernambuco

Só bancos privados

Ceará
Vitória da Conquista (BA)

Nenhum comentário: