segunda-feira, dezembro 24, 2012

Povos indígenas no Ceará ( TREMEMBÉ de Acaraú = Jericoacoara)



“Teve um tempo que nós para viver precisamos nos calar, e, hoje, nós para viver precisamos falar”. (Pajé Luiz Caboclo)
A história dos povos indígenas no Ceará é marcada por um intenso processo de luta, resistência e afirmação étnica. Ainda hoje, os indígenas lutam contra a invasão de seus territórios e resistem às inúmeras violações de direitos e negação de suas culturas e existência. Durante séculos, esses povos usaram o silêncio como forma de se protegerem das perseguições sofridas e do preconceito, mas – desde década de 1980 -, assumiram a afirmação da identidade indígena como forma de resistência legítima para dar continuidade à luta histórica por direito aos seus territórios e pela afirmação de sua cultura, vida e identidade.
TABAJARA
Municípios: Crateús, Monsenhor Tabosa, Poranga, Quiterianópolis, e Tamboril.
Comunidades: 1) Poranga: Imburana e Cajueiro; 2) Crateús: Terra Prometida, Vila Vitória, Nova Terra, Terra Livre, Altamira, Planaltina e Nazário; 3) Quiterianópolis: Fidélis, Vila Nova, Croatá e Vila Alegre; 4) Monsenhor Tabosa: Olho D´água dos Canutos; 5) Tamboril – Grota Verde.
Famílias: 550.
Situação da Terra Indígena (TI): TI com estudos preliminares feitos pela FUNAI.
"Se vivemos hoje na cidade a culpa não é nossa. Foi a única opção que tivemos em nossas vidas". (Francisca Lira - Liderança Tabajara de Fidélis)
TUPIBA-TAPUIA
Município: Monsenhor Tabosa.
Comunidade: Pau-Ferro.
Famílias: 30.
Situação da terra indígena: Foi realizado estudo de fundamentação, aguardando parecer (T.I. Mundo Novo/Viração).
TREMEMBÉ
Municípios: Itarema, Acaraú e Itapipoca.
Comunidades: 1) Itarema: Almofala: Barro Vermelho, Lameirão, Panã, Praia, Camboa da Lama, Mangue Alto, Aningas do Mulato, Cabeça do Boi, Passagem Rasa, Curral do Peixe, Urubu e Boa Vista; Varjota: Tapera, Batedeira, Praia do Caboré e Camondongo; Córrego João Pereira: São José, Capim Açu e Cajazeiras; 2) Acaraú: Telhas e Queimadas; 3) Itapipoca: São José e Buriti.
População estimada: 4.820 pessoas.
Famílias: 690.
Situação das Terras Indígenas (TI’s): Córrego João Pereira e Telhas – TI regularizada; Almofala: TI delimitada e identificada oficialmente, com processo administrativo suspenso pelo Ministério da Justiça, em 1996; Queimadas, São José e Buriti – TI’s com estudos preliminares, através de grupo de trabalho da FUNAI, em 2003/2004; Comondogo – TI ainda não estudada pela FUNAI.
TAPEBA
Município: Caucaia.
Comunidades: Água Suja, Bom Jesus, Capoeira, Capuan, Cigana, Itambé, Jandaiguaba, Jardim do Amor, Lagoa I, Lagoa II, Lameirão, Mestre Antônio, Ponte I, Ponte II, Sobradinho, Trilo, Vila dos Cacos,Vila Nova.
População: 5.500 pessoas.
Situação da Terra Indígena (TI): Terra Indígena delimitada e identificada. Aguarda respostas às contestações.
POTYGUARA/POTIGUARA
Municípios: Crateús, Monsenhor Tabosa, Novo Oriente e Tamboril.
Comunidades: 1) Em Crateús: Terra Prometida, Nova Terra, Terra Livre e Aldeia São José, na periferia da cidade; Santa Rosa, em Monte Nebo; 2) Em Monsenhor Tabosa: Mundo Novo, Chupador, Jacinto, Boa Vista, Passarinho, Merejo, Tourão, Distrito-sede, Espírito Santo, Longar, Passagem e Pitombeira; 3) Em Novo Oriente: Lagoa dos Nery e Açude dos Carvalhos; 4) Em Tamboril: Viração.
População estimada: 1.000 pessoas.
Situação das Terras Indígenas (TI’s): 1) Potyguara de Mundo Novo e Viração: Foi realizado estudo de fundamentação, aguardando parecer (T.I. Mundo Novo/Viração); 2) Potiguara de Crateús e Novo Oriente: Foi realizada visita preliminar pela FUNAI; 3) Potiguara Nazário, Monte Nebo e São José – Terras Indígenas ainda não estudadas pela FUNAI.
"Creio na lua Creio nas estrelas Creio nas nuvens Creio no sol Creio no vento, creio na água e no fogo... Credo dos índios Potyguara". (Sibá Potyguara)
PITAGUARY
Município: Maracanaú e Pacatuba.
Comunidades: 1) Maracanaú: Horto, Olho D`água e Santo Antônio dos Pitaguary; 2) Pacatuba: Monguba.
População estimada: 2.800 pessoas.
Famílias: 540.
Situação da Terra Indígena (TI): Terra Indígena em processo de demarcação física.
KARIRI
Município: Crateús.
Comunidade: Maratoã.
População estimada: 60 pessoas.
Situação da Terra Indígena (TI): Terra indígena com visita preliminar realizada pela FUNAI.
“Tem gente que não acredita, que estou contando aqui mas afirmo com muita certeza, sou da tribo Kariri sei que tenho sangue de índio, e não me envergonho jamais porque eu sei que o sangue que tenho, são heranças dos meus velhos pais". Origem em versos (Tereza Kariri)
KALABAÇA
Municípios:
 Crateús e Poranga.
Comunidades: 
Altamira, Fátima I, Fátima II, São José, Maratoã, Planaltina e Caixa D´água.
Famílias: 
Poranga: 300; Crateús: sem dados. 
Situação de Terras Indígenas (TI’s): 
Terras Indígenas com estudos preliminares pela FUNAI.
"Minha mãe criou nós dizendo que nós era índio, mas que não era pra nós dizer isso aí nunca, porque os índios antigamente foram espancados... mataram muita gente". (Dona Raimunda Kalabaça)
JENINPAPO-KANINDÉ
Município: Aquiraz.
Comunidade: Lagoa da Encantada.
População estimada: 290 pessoas.
Famílias: 80.
Situação da Terra Indígena (TI): TI delimitada e identificada, aguardando resposta às contestações.
GAVIÃO
Município:
 Monsenhor Tabosa.
Comunidade: 
Boa Vista.
População estimada: 
190 pessoas.
Famílias:
 20.
Situação da Terra Indígena (TI):
 Terra Indígena com visita preliminar realizada pela FUNAI.
“Sou Gavião, sou Gavião, e nasci lá no sertão... Pois eu sou o rei da mata, de voar não me cansei. Somos povos que viemos, tão de longe para cá, Igualmente ao gavião, ligeiramente a voar..." (Música de Antônio “Toinho” Gavião)
ANACÉ
Município: São Gonçalo do Amarante e Caucaia
Comunidades: 1) Em São Gonçalo do Amarante: Mangabeira, Pau-Branco, Salgado, Tabuleiro Grande, Boqueirão, Currupião, Baixo da Carnaúba, Maceió do Rafael, Torém, Areia Verde, Lagoa Amarela, Jereraú, Tocos, Chave Oiticica, Tapuio, Siupé; 2) Em Caucaia: Matões, Japuara e Santa Rosa.
População estimada: 1270 pessoas.
Famílias: 380.
Situação da Terra Indígena (TI): TI a ser identificada pela FUNAI.
*Fonte: Povos Indígenas no Ceará: organização, memória e luta. Memorial da Cultura Cearense, do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, 2007. Pesquisadores: João Paulo Vieira, Alexandre Gomes e Juliana Muniz.

Nenhum comentário: